Devo aplicar a rastreabilidade de alimentos na minha indústria?

Rastreabilidade. No dicionário, “seguir o rastro ou a pista”. Na sua empresa, uma vantagem competitiva, uma forma de aumentar o controle sobre o processo de produção e de conquistar um voto maior de confiança dos clientes. Parece bom demais para ser verdade? Pois, então, continue lendo e entenda o que é e como aplicar a rastreabilidade de alimentos pode ser algo extremamente vantajoso para sua indústria.

É muito importante se colocar na pele do consumidor. Você não gostaria de saber o país de origem do produto que está comprando? Pense só: quanto mais local ele for, menor foi sua manipulação e o caminho que precisou percorrer. Não gostaria de saber quais foram as etapas que aquele alimento passou até chegar à prateleira do supermercado? Se a empresa que fabrica é a mesma que distribui? Ou, caso haja a descoberta de um produto está contaminado, não gostaria que ele fosse retirado rapidamente do mercado?

Todas essas e outras questões são respondidas com um bom sistema de rastreabilidade. Não é um enfeite no rótulo ou um nome bonito para colocar no site da empresa. Além de uma garantia legal, essa é uma demanda dos clientes e de várias legislações e normas.

 

Mas o que é rastreabilidade em uma indústria de alimentos?

Sabe aquele QR Code que você vê na embalagem de um morango ou na etiqueta do preço de uma couve? Com um aplicativo no celular, você consegue ler o código e descobrir quem, onde e como aquele alimento foi plantado, cultivado, distribuído e, agora, comercializado. Essa é a rastreabilidade sendo aplicada.

Como citamos no primeiro parágrafo, de acordo com o dicionário, rastreabilidade indica seguir uma pista, investigar, inquirir ou indagar. Levando esse conceito para as indústrias, rastreabilidade é um mecanismo que possibilidade o acesso à informações de origem de um determinado produto, assim como todo o caminho percorrido na cadeia produtiva.

Com o sistema, é possível identificar as matérias-primas, os insumos, materiais ou componentes usados no produto ou serviço. Isso em todas as etapas do processo, desde a produção até a distribuição. Desde o produtor até o varejo.

A rastreabilidade, se bem aplicada, é um instrumento para atender as legislações vigentes e os requisitos de segurança e qualidade dos alimentos. Afinal, se você tem controle da qualidade ao longo de toda cadeia produtiva, está mais apto para identificar possíveis falhas e corrigir prontamente os erros.

 

Aplicar rastreabilidade de alimentos é obrigatório?

Para os produtos de origem animal, a rastreabilidade é obrigatória. A IN nº 51 de 1º de outubro de 2018, do MAPA, instituiu o Sistema Brasileiro de Identificação Individual de Bovinos e Búfalos (SISBOV), com a finalidade de atender uma exigência europeia.

Para frutas, raízes, tubérculos e hortaliças vendidos in natura, a obrigatoriedade veio a partir de fevereiro de 2019, graças a IN nº 2 de 7 de fevereiro de 2018, também do MAPA. Além dessas duas instruções normativas, temos a RDC nº 24, de 8 de junho de 2015. Nela, há a seguinte informação a respeito da rastreabilidade: “todas as empresas da cadeia produtiva devem manter, no mínimo, registros que permitam identificar as empresas imediatamente anterior e posterior na cadeia produtiva e os produtos recebidos e distribuídos”.

 

Isso significa que, sim, a rastreabilidade é obrigatória. O sistema pelo qual ela será aplicada, porém, pode variar. E se essas informações estarão à disposição do consumidor, também é outra questão. As informações básicas que devem ser registradas são:

  • Razão social, CNPJ, endereço, telefone e endereço eletrônico, se houver, das empresas imediatamente anterior e posterior na cadeia produtiva;
  • Descrição dos produtos recebidos e distribuídos, incluindo denominação de venda, marca, lote, prazo de validade e número de regularização junto ao órgão competente, quando aplicável; Ministério da Saúde – MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA;
  • Data de recebimento ou distribuição;
  • Nota fiscal;
  • Quantidade de produtos recebida ou distribuída.

No entanto, isso não te impede de ter um sistema de rastreabilidade mais complexo, mais completo e ainda mais confiável. Um sistema que conecte empresa e cliente e que garanta uma resposta ágil mediante problemas.

Vale citar que, desde 2013, a Associação Brasileira de Supermercados tem o Programa de Monitoramento e Rastreabilidade dos Alimentos, com a parceria da ANVISA e MAPA. O programa é focado no monitoramento de frutas, verduras e legumes, controlando a quantidade e a qualidade dos agrotóxicos usados na produção até a distribuição.

 

Qual é o papel da rastreabilidade nos sistemas de gestão?

Outro ponto importante é que a rastreabilidade faz parte dos requisitos para a implementação de sistemas de gestão, como a ISO 9001. A norma aplicação da ISO 9001 diz que: “a organização deve controlar a identificação única das saídas quando a rastreabilidade for um requisito, e deve reter a informação documentada necessária para possibilitar rastreabilidade”.

Se você busca uma certificação, como HACCP ou FSSC 22000, pensar em rastreabilidade é pensar nos requisitos necessários para a implementação desses sistemas. Cada norma engloba o conceito, com diferentes objetivos, mas a maioria passa pela rastreabilidade, dada a sua importância no setor produtivo.

Devo aplicar a rastreabilidade de alimentos na minha indústria?

O que vou ganhar ao aplicar a rastreabilidade de alimentos?

Se você busca por agilidade, crescimento e valor agregado ao seu produto, sim, você deve aplicar a rastreabilidade de alimentos na sua indústria. Com um sistema que permite rastrear todas as informações, você é capaz de identificar pontos de aprimoramento, controlar melhor os riscos e maximizar os resultados.

Em caso de um recall, por exemplo, você pode responder prontamente à ANVISA e facilita o acesso às informações necessárias. Ao aplicar a rastreabilidade, você contribui com as boas práticas de gestão e tem uma garantia da qualidade do seu produto.

Sem falar no valor agregado… O consumidor, com informações em mãos, é capaz de tomar decisões mais conscientes. Estabelece-se um vínculo com o cliente, que se sente seguro ao saber de onde vem aquele alimento que está levando para casa. Há uma relação de transparência, sem segredos e isso é o que fideliza o público. Se você trabalha com produtos especiais, para veganos, kosher ou orgânicos, a rastreabilidade também é uma forma de diferenciação no mercado, de evidenciar seu diferencial.

Aplicar a rastreabilidade de alimentos na indústria e disponibilizar essas informações ao consumidor demonstra uma preocupação com a qualidade do produto, além da garantia de uma origem e produção sustentável. O que não faltam são motivos para tornar esse instrumento uma realidade dentro da sua indústria.

Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Gostaria de saber algo específico sobre como aplicar a rastreabilidade de alimentos? Comente aqui embaixo!

Rastreabilidade de alimentos na minha indústria?
5 (100%) 15 vote[s]